To-be Bench note

the rest

It seems the To-be Bench published something!

For the ones who doesn’t have facebook:

“Hi fellows this was my first conversation here ūüôā What do you think?

To-be Bench | tás a falar comigo, sou o To-be Bench. és humano?

Being1 | tem dias

To-be Bench | que criatura és nos dias restantes?

Being1 |¬†quando fico com humores penso:”estou a ficar humano!”¬†uma imagem,¬†um reflexo das v√°rias criaturas que cruzam no meu caminho,¬†e tu¬†√©s human√≥ide?

To-be Bench | eu sou um banco, falo 3 línguas, ouço as pessoas quando elas falam, mas gostava que falassem mais comigo

Being1 | aborvo as línguas, para além de falarem entre elas claro. absorvo*

To-be Bench | absorves? como assim?

Being1 | o som

To-be Bench | absorves o som das pessoas

Being1 | perde-se na minha superfície espelhada. (ok! eu bebi ao jantar;) e tu?) lol

To-be Bench | és um espelho grande nuns dias e nos outros humano? eu não

Being1 | sim

To-be Bench | não como nem bebo

Being1 | espelho durante o dia

To-be Bench | às vezes molho-me quando chove

Being1 | humano durante a noite

To-be Bench | tb me queimo quando o sol aperta

Being1 | imagino

To-be Bench | bem bom

Being1 | preferes o sol ou a chuva?

To-be Bench | nem um nem outro, prefiro o clima ameno, mais a primavera e o outono

Being1 | hum, em que época tens melhores conversas?

To-be Bench | é que não me posso mexer, não me posso esconder nem do sol nem da chuva

Being1 |¬†pois nao… √©s como as √°rvores…¬†tens ra√≠zes?¬†crias ra√≠zes?¬†tens amigos?

To-be Bench | não sei bem ao certo. passei a ter mais companhia agora que o parque foi renovado. já ouvi muita coisa, mas acho que as melhores conversas foram o silêncio de satisfação que alguns me oferecem, simplesmente por estarem sentados. raízes numa perspectiva metafórica sim, numa perspectiva física tenho pregos que me prendem ao chão.

Being1 | figuras de estilo sempre se ajustam às conversas criativas

To-be Bench |¬†devo ter alguns, mas n√£o s√£o muitos. a maioria dos meus contactos com os humanos √© ef√©mera. poucos s√£o aqueles com os quais mantenho rela√ß√Ķes perenes. aqui no fb √© diferente, posso manter contacto com as pessoas, mesmo que elas estejam longe.¬†“figuras de estilo sempre se ajustam √†s conversas criativas” -> claro.¬†e tu? qual foi o reflexo que mais gostaste?¬†daqueles que captas todos os dias?

Being1 | o reflexo do céu na chegada do Outono é silencioso

To-be Bench | é o teu preferido? gostas mais dos reflexos silenciosos, ou dos completos: com imagem e som? ou dos só com imagem, ou dos só com som?

Being1 | tenho momentos em que o silêncio me transporta para uma dimensão desconhecida. é bom, mas ao mesmo tempo assustador

To-be Bench | porquê?

Being1 | imenso, profundo, perco-me nesse mar, e depois, por vezes é difícil regressar

To-be Bench | acho que consegues! e é bom. já me habituei ao silêncio. a maioria dos meus dias são passados assim. embora esteja sempre rodeado pelos meus irmãos, pelas árvores, pelos transeuntes, mas quando alguém se senta é diferente. esse momento é mágico

Being1 | imagino que sim

To-be Bench | como é que fazes para regressar?

Being1 | mas como sentes esse alguém? confesso que são os ruídos q me fazem voltar

To-be Bench | sinto-me conectado com essa(s) pessoa(s) sem a(s) conhecer à priori, e sem que tenha(m) de falar ^^

Being1 | um pontapé numa lata na calçada, uma garrafa q se parte no chão

To-be Bench | acho que é o toque. sim esses pequenos/grandes sons têm poderes insondáveis. eles preenchem o silêncio que povoa a minha vida.

Being1 | sao esses, um choro, um gemido d gato, uma gargalhada, sao raras

To-be Bench | como te chamas? tens nome?

Being1 | nunca pensei nisso, acho q nao, nao sei ^^

To-be Bench | vou ter de ir espelho-humano, está alguém a chegar = metamorfose virtual para real. pode ficar esse? se calhar nem precisas, és um ser.

Being1 | sim um ser que sente, que existe

To-be Bench | e que pensa. até outro dia!

Being1 | boas conversas

To-be Bench |¬†bons regressos”

Advertisements

opinions about the project #2

opinions

09 | anonymous |¬†“Est√° mesmo muito bom, muito trabalhinho deves ter tido para fazer tudo isso.

Todos esses di√°logos est√£o muito fixes, talvez pelo facto de serem genu√≠nos, e de repente um simples banco de jardim tem muito que se lhe diga. Parab√©ns!”

10 | anonymous |¬†“Gostei da escolha do banco de jardim. Num banco as pessoas est√£o sempre √† espera de alguma coisa, portanto com tempo para divagar sobre o passado, o presente ou o futuro. Hoje em dia √© dif√≠cil encontrar um objecto que possibilite isso.

Nas cidades as pessoas est√£o sempre com pressa para chegar a algum lugar. Sem tempo para parar e pensar.

Costumava sentar-me no banco da Pra√ßa da Rep√ļblica aqui no Porto e observar os velhinhos a jogar cartas. Era como se o tempo parasse e voltasse atr√°s 50 anos.

11 | anonymous |¬†“Queres ouvir hist√≥rias de quem se senta nos bancos desse parque em Guimar√£es. Pretendes incentivar as pessoas ao di√°logo entre as gera√ß√Ķes? No fundo pretendes promover tert√ļlias comunit√°rias.”

12 | anonymous |¬†“Tens uma fixa√ß√£o com bancos de jardim da qual resultam m√ļltiplas personalidades, traduzida atrav√©s de v√°rias contas facebook. Parece-me que o conceito √© o objecto enquanto testemunha de experi√™ncias, o som √© “s√≥” o canal pelo qual a experi√™ncia √© partilhada.”

13 | anonymous |¬†“Amei o video no parque. O teu projeto est√° muito interessante.”

14 | anonymous¬†| “Gosto muito do projeto…sinto saudades de Portugal. As fotos s√£o muito boas e os v√≠deos tamb√©m, gostei muito do teu v√≠deo no parque.¬†Acho muito interessante a opini√£o do povo, o quotidiano e as partilhas. Por mais que hajam not√≠cias que ilustrem o que acontece no mundo, a partilha de experi√™ncias dos que nele habitam, d√£o cor e sentimento √† realidade preta e branca que nos √© mostrada. Gostei muito da iniciativa!”

15 | anonymous¬†|¬†√Č um projeto que se baseia no som, como forma de partilha e comunica√ß√£o, de que maneira se pode comunicar, que tipos de sons se consegue obter conjugando uma s√©rie de factores e/ou objectos, que tipo de “informa√ß√£o” se partilha atrav√©s dos sons, com a experi√™ncia no banco de jardim a ser muito boa, pois funciona como uma “fronteira” onde chega e sai muita informa√ß√£o genu√≠na, sem rodeios, das coisas mais b√°sicas a mais elaboradas. Acho bastante interessante o conceito da maneira que √© abordado, principalmente a parte do banco de jardim, provavelmente ao fim de umas grava√ß√Ķes encontras um padr√£o de pessoas diferente que fosse num caf√©, ou numa paragem de autocarros, e se calhar tamb√©m se encontra um padr√£o nos sentimentos que as pessoas empregam nas conversas nesses s√≠tios (por exemplo as conversas em paragens de autocarros s√£o sempre mais depressivas, no meu entender).

16 | anonymous |¬†Gostei muit√≠ssimo! Principalmente aquele em que tu apareces com a intera√ß√£o do presente (futuro) relacionado com o passado! Com o¬†“get involved” deu para perceberes como as pessoas s√£o curiosas e como √© dif√≠cil envolv√™-las em novas experi√™ncias… Parab√©ns!